Make your own free website on Tripod.com

Gatos & Férias

 [antes de arranjar um gato] [alguém que vá a sua casa tratar do gato enquanto está ausente] [gatis e canis] [deixar o gato em casa de um amigo]

Quando chegam as férias e há uma marcação de um hotel ou casa de praia algures, à nossa espera, temos que resolver o que fazer com os animais de estimação.

Tal como muitos outros animais, os gatos costumam ser vítimas do 'síndroma de férias'. Quando chega o mês de Julho começam a aparecer muitos gatos vadios esqueléticos a vasculhar os contentores do lixo. Estes animais tinham uma casa e donos que os habituaram a ter comida e água a horas certas, e agora estão perdidos porque nunca aprenderam a caçar. Para além disto têm outro problema: foram largados num território que provavelmente já estava marcado por outro gato, que por acaso cresceu na rua e é maior, mais forte e está muito mais bem adaptado a sobreviver sozinho.

Juntando tudo isto, temos um gato em apuros.

Há muitas alternativas a abandonar um gato quando chegam as férias, o que se passa é que geralmente as pessoas nem têm tempo de pensar nelas e só reparam que têm um animal em casa quando falta uma semana para saírem para o Algarve.

1. Pense, antes de arranjar um gato. O que é que lhe vai fazer nas férias? Há duas épocas críticas em que o número de animais abando nados aumenta: na altura do Carnaval, quando os animais que foram prenda de Natal já se tornaram grandes e os donos já não lhes acham piada; e antes das férias do Verão. Se antes de arranjar um animal os futuros donos pensassem para que o querem realmente, muitas destas situações eram evitadas.

Se sabe que quando for de férias não vai poder alojar o gato nalgum sítio onde tratem dele como está habituado, então mais vale não o ter. 

 

2. Arranje alguém para ir a sua casa tratar do gato.

De certeza que pode deixar as divisões da sua casa todas fechadas e o seu gato apenas numa delas, onde algum vizinho de confiança ou familiar possa ir de vez em quando. Se fizer isto, o seu gato tem de ficar com: 

Além disto, convém ter cuidado com mais algumas coisas:

3. Ponha o gato num gatil/ canil.

A maior parte dos canis também funcionam como gatis e alojam gatos nas férias por um preço diário razoável.

Vá visitar o gatil primeiro. Não lhe interessa que o seu gato esteja a ser maltratado enquanto você está na praia a descansar, por isso verifique as condições em que ele fica. 

Além dos gatis, existem também hotéis para animais, que podem ser um pouco mais caros. Geralmente para encontrar um gatil público que preste estes serviços, basta contactar a Câmara Municipal e perguntar se dispõe de algum gatil para deixar os gatos enquanto se vai de férias. Explique bem que é apenas enquanto vai de férias, e não para abater.

 

 

4. Deixe o gato em casa de uma pessoa de confiança

E com o gato deixe também a sua casa de banho portátil, as tigelas de água e comida, os brinquedos e o cesto ou cobertor do gato. Não se esqueça que as pessoas podem não gostar de ter pêlos espalhados por toda a casa e levar o cesto do gato é a melhor maneira de garantir que ele fica no mesmo sítio durante a maior parte do tempo. Se tem alguma escova para o gato, para lhe tirar o pelo, também a deve levar.

Informe a pessoa sobre os hábitos alimentares do gato e explique-lhe que deve ter o W.C. do gato num sítio onde ele possa ir sempre que queira. Os gatos vão naturalmente à areia do WC portátil.

Previna-a sobre plantas que estejam ao nível do chão - mais vale pô-las nas prateleiras durante uns tempos até o gato aprender onde esta o WC nesta sua nova casa temporária.

Explique-lhe ainda que no primeiro dia numa nova casa, é provável que o gato tente andar a vaguear de noite e faça barulho por se sentir desorientado e com saudades dos donos.

 

 

Quando voltar...

Prepare-se para encontrar um gato cheio de saudades. Mesmo os gatos mais pachorrentos e indiferentes não conseguem disfarçar as saudades dos donos quando passam algum tempo sem os ver. Compense o seu gato dando-lhe uma boa dose da sua comida preferida e  levando-o para o seu cantinho habitual, em sua casa.

Não se admire se o gato resolver marcar território quando chegar a casa. Provavelmente ele só está a fazer isto porque esteve fora durante algum tempo e não vai voltar a fazê-lo.

 

 

Rita Varela © 2001, 2002